Escolha uma Página

Pixinguinha e Sua Orquestra, 1962

140

Alegria – Pixinguinha e Sua Orquestra, 1962
Musidisc - Hi-Fi 2051, LP
por.: Marcelo Oliveira / 25 abr, 2017
Categoria(s).: Álbuns

Álbum, que exibe primor em produção e musicalidade, navega pelos mais densos sentimentalismos do músico. Paulinho da Viola já foi um ‘botequeiro’ de primeira linhagem. E isso contribuiu bastante para a poeticidade de um dos mais prolíficos sambistas que o Brasil já teve. Com Cartola e Zé Keti, Paulo César Faria obteve o impulso necessário para abraçar de vez a condição de sambista nos anos 70, em um período em que a música popular brasileira sofria com as censuras da Ditadura Militar. Paulinho da Viola herdou do mestre Cartola um intimismo com suas canções que as tornam sinceras, tocantes.

Mas o que é preciso que se diga é que os vinte e quatro números que vocês aqui ouvirão e a cujo som gostosamente dançarão receberam, todos eles, um toque a mais de graça e de fascínio, uma pincelada extra de colorido, uma parcela nova na soma de atrativos que cada um dêles já trouxe desde os berço. É que todas as faixas do presente LP são apresentadas em estupendos arranjos da autoria dêsse extraordinariamente grande crioulo, grande no físico e no talento, um dos maiores nomes da música popular brasileira em todos os tempos.

“Alegria” não tinha, propriamente, a intenção de ser um disco carnavalesco, mas como alegria e carnaval, ao menos no Brasil e ainda mais na terra da Guanabara, são quase sinônimos, de parentesco muito afim, sucedeu que tôdas ou quase tôdas as suas doze faixas, desdobradas em vinte e quatro melodias, são músicas de carnaval.

O que a Musidisc, portanto, aqui lhes oferece é uma soberba coleção de músicas momescas, duas dúzias de sucessos carnavalescos em vários anos, alguns um pouco recuados no tempo, outros surgidos em carnavais mais recentes, mas todos magistralmente revividos pela orquestra completa do formidável Pixinguinha numa sucessão eletrizante de graça e ritmo.

Vamos, pois, ao som dessa música vibrante, reviver os carnavais que se foram, tão cheios de recordações para muitos de nós! A orquestra está a postos, a batuta do grande maestro Pixinguinha está erguida! Não deixemos que elas esperem por nós!

Sebastião Fonseca
contracapa do LP

Face A:

  1. EVA — MIAU … MIAU
    (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira) — (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira)
  2. SERPENTINA — ÍNDIO QUER APITO
    (Haroldo Lobo e David Nasser) — (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira)
  3. A MARIA TÁ — A MULHER DO LEITEIRO
    (Haroldo Lobo, Milton de Oliveira e Jair Noronha) — (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira)
  4. O PASSO DO CANGURU — O PASSARINHO DO RELÓGIO
    (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira) — (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira)
  5. TOUREIRO — ALLAH-LA-Ô
    (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira) — (Nássara e Haroldo Lobo)
  6. ANDORINHA — NÊGA DO CONGO
    (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira) — (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira)

Face B

  1. FALA MANGUEIRA — SENHOR COMISSÁRIO
    (Mirabeau e Milton de Oliveira) — (Haroldo Lobo e Benedito Lacerda)
  2. OBSESSÃO — ROSALINA
    (Mirabeau e Milton de Oliveira) — (Haroldo Lobo e Wilson Batista)
  3. CALA A BÔCA — REZA POR NOSSO AMOR
    (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira) — (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira)
  4. NÃO TENHO LÁGRIMAS — O RELÓGIO BATEU CINCO HORAS
    (Max Bulhões e Milton de Oliveira) — (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira)
  5. P’RA SEU GOVÉRNO — JURO
    (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira) — (Milton de Oliveira e Haroldo Lobo)
  6. SABIÁ LARANJEIRA — QUEBREI A JURA
    (Milton de Oliveira e Max Bulhões) — (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira)

Produzido e gravado no Brasil por NILO SÉRGIO
Produtor Associado: Luiz Bittencourt
Capa de JOSELITO – Foto de MAFRA