Escolha uma Página

Clementina de Jesus, 1976 – Convidado especial: Carlos Cachaça

3 abr, 2017 | Álbuns

Neste disco de 76, Clementina, que ressurgira em 72 com o memorável LP – Marinheiro Só – , tem Carlos Cachaça como convidado especial. Não sei se por coincidência ou em consequência, Cachaça lançaria meses depois o único LP solo de sua carreira (naturalmente esgotado há décadas e não lançado em cd).

Clementina canta o Lado A sozinha, com destaque para “Incompatibilidade de gênios”, de uma jovem dupla em ascensão, João Bosco & Aldir Blanc. Cachaça entra no B cantando “Não quero mais amar á ninguém“, “Itinerário“, e “Lacrimário“. A 1ª é parceria dele com Zé da Zilda e com o genial Cartola, também redescoberto havia pouco tempo. As outras duas, dele sozinho.

Também tem, para aqueles que não conseguem ouvir Clementina sem ser nos tradicionais cantos negros, a ótima faixa “Cinco cantos de trabalho“, penúltima do disco, de diversos artistas.

Pra finalizar, o texto de contracapa é assinado por ninguém menos do que Milton Nascimento. Dá uma sacada:

“Salve os séculos, as tribos, os gritos, toda existência de uma raça, lançada como cinema pela voz da Clementina. Ela repousa em seu colo a música que nina com amor que só as velhas amas sofreram, ou da menina que caminha para seus treze anos.
Teria um livro inteiro para começar a falar da beleza dela. Mãe, que trabalhão! Ainda bem que não é preciso. De dezembro de 64, onde aparecia pela primeira vez, ao lado de Turibio Santos, Benedito Cézar Faria, Paulinho da Viola e Elton Medeiros, até agora, um dos mais fortes veículos de cultura.
Atraca, atraca…”

Milton Nascimento

Toda a discografia de Clementina de Jesus, em certa medida, é consequência do espetáculo – Rosa de Ouro – produzido por Hermínio Bello de Carvalho. Sua discografia compõe-se, basicamente, de 11 LPs, começando com o – Rosa de Ouro – inaugural, de 1965, pela Odeon, e culminando com o – Canto dos escravos – , em 1982, pelo selo dos Estúdios Eldorado. Hermínio Bello de Carvalho produziu nove desses discos, oito pela Odeon e um para o Museu da Imagem e do Som, em 1970 – Clementina cadê você? – expressão que desde o partido alto de Élton, tornou-se um prefixo, uma marca da cantora, Já o disco – Clementina e convidados – , de 1979, foi produção de Fernando Faro.

LADO 1

PERGUNTE AO JOÃO – 2’02
(Helena Silvia – Milton Costa)
INCOMPATIBILIDADE DE GÊNIOS – 2’37
(João Bosco – Aldir Blanc)
OLHAR ASSIM – 2’50
(Paulo da Portela)
INGENUIDADE – 3’23
(Serafim Adriano)
DEFESA – 2’10
(Mirabeau – Jorge Gonçalves – Vital de Oliveira)
AJOELHA – 3’06
(Batelão – Silvio)

LADO 2

NÃO QUERO MAIS AMAR Á NINGUÉM – 3’21
(Zé da Zilda – Cartola – Carlos Cachaça)

ITINERÁRIO – 3’05
(Carlos Cachaça)

LACRIMÁRIO – 2’50
(Carlos Cachaça)

DOIS JONGOS:
PICAPAU / CARREIRO BEBE? – 2’00
(Arrs. e adpts. Clementina de Jesus)

CINCO CANTOS DE TRABALHO
OS ESCRAVOS DE JÓ / ALEGRIA DO CARREIRO / ENSABOA / PEIXEIRA CATITA / ATIVIDADE NO ABANO / OS ESCRAVOS DE JÓ – 6’16
(Milton Nascimento – Fernando Brant – Cartola / Arrs. e adpts. Clementina de Jesus / Milton Nascimento / Fernando Brant)

LAPA – 4’00
(Arrs. e adpts. Clementina de Jesus)

Produtor Fonográfico:
EMI-ODEON Fonog. Indl. e Eletrônica S.A.
Direção Artísitica: Milton Miranda
Direção de Produção: Mariozinho Rocha
Produção Executiva: Hermínio Bello de Carvalho
Técnico de Gravação: Roberto Castro
Técnico de Remixagem: Nivaldo Duarte
Corte: Osmar Furtado
Capa: Mello Menezes