Escolha uma Página

Roberto Ribeiro, 1980

141

Fala Meu Povo! – Roberto Ribeiro, 1980
EMI ‎– 31C 062-421208, LP
por.: Marcelo Oliveira / 26 abr, 2017
Categoria(s).: Álbuns

Dermeval Miranda Maciel. Filho de jardineiro. Aos nove trabalhava como entregador de leite. Jogador de futebol profissional (atuou no Fluminense). Apelido de “Pneu”. Sabe de quem estou falando? Pertenceu à Ala de Compositores do Império Serrano, sua escola de coração, onde também atuou como puxador de samba. Foi casado com a compositora Liette de Souza. Agora já sabe… Roberto Ribeiro.

No início da década de 1980, em seu nono LP gravado pela Odeon – os dois primeiros foram com Elza Soares (1972) e Simone (1973) – Roberto Ribeiro gravou 3 sambas seus em parceria com Toninho Nascimento: “Ebó”; “Vem”; “Quem Sabe Amanhã”.

Com naturalidade, mostrando que sabe pisar com firmeza no terreiro, Roberto abre o LP lançando “Resto de Esperança” (Aragão/Dedé da Portela) que no ano seguinte seria também gravada por Aragão em seu primeiro álbum chamado “Jorge Aragão” lançado pela Baccarola/Ariola (020.008).

Beleza a lembrança do nosso saudoso Roberto Ribeiro. De quebra uma música do grande Nelson Rufino. Nos anos 70 e lá vai fumaça, quase que não existia um só disco de samba que não trouxesse compositores da Bahia como o próprio Rufino, Edil Pacheco, Ederaldo Gentil, Batatinha, Walmir Lima, Walter Queiroz e outros bambas baianos. Aqui em “Fala Meu Povo” temos “Jura” de Nelson Rufino: “Tem estrelas no céu, menina…/É convite de amar/Vem ver/Que a beleza do céu, menina…/Vai encher de alegria/Seu viver”

Com participação de Clara Nunes, a faixa “Artifício” – dos craques Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro – é outro destaque do disco: “Não/Não adianta lamentar, amor/Deixa de lado, o que passou, passou/Pra que sofrer, pra que chorar/Se nada vai mudar”. Impressionante o momento da música em que entra a Clara, em um êxtase quase que religioso. Para ser ouvido de joelhos, e quietinho.

De Monarco, Roberto cantou: “Quem Lucrou Fui Eu” samba inspirado em um fim de romance: “Quem lucrou com a separação fui eu/Se fui eu, que lucrei quando esse amor morreu/Eu vivia magoado como um pobre coitado/Mas isso de mim já desapareceu”.

Sucesso também foi “Só Chora Quem Ama”, lançado também em 1980, no álbum “A Arte Negra de Wilson Moreira e Nei Lopes” (EMI-Odeon) pelos seus compositores. “Quero ter alguém que tome conta de mim/ Não suporto mais ficar sozinho/ Preciso de uma companheira/ Que me dê conforto e carinho”.

Não posso deixar de citar “Gamação Danada” de Neguinho da Beija-Flor/Almir (contracapa) – vale ressaltar que o Almir em questão é o Guineto – samba lançado no ano de 1979 por Jair Rodrigues no álbum “Couro Comendo” (Philips – 6349 434): “Êh! Gamação danada/É triste ter você/Fazendo morada/Dentro do meu peito/Deixando imperfeito o meu viver”

Fechando o LP, um samba-enredo clássico de sua escola do coração, o Império Serrano (1969): “Heróis da Liberdade”: “Passava a noite, vinha dia/O sangue do negro corria/Dia a dia/De lamento em lamento/De agonia em agonia/Ele pedia/O fim da tirania”.

Enfim, só “pedrada”. Não perca tempo e ouça esse disco que, em minha modesta opinião, é um dos melhores de meu acervo.

Marcelo Oliveira

Lado A

  1. RESTO DE ESPERANÇA – 3’32
    (Jorge Aragão-Dedé da Portela)
  2. JURA – 2’38
    (Nélson Rufino)
  3. O PATRÃO PEDIU SERÃO – 3’32
    (David Correa)
  4. ARTIFÍCIO – 3’00 Part. Esp. CLARA NUNES
    (Mauro Duarte-Paulo César Pinheiro)
  5. PLANTA IMORTAL – 3’23
    (Serafim Adriano)
  6. EBÓ – 2’37
    (Roberto Ribeiro-Toninho Nascimento)

Lado B

  1. VEM – 3’56
    (Roberto Ribeiro-Toninho Nascimento)
  2. QUEM LUCROU FUI EU – 3’45
    (Monarco)
  3. SÓ CHORA QUEM AMA – 3’02
    (Wilson Moreira-Nei Lopes)
  4. QUEM SABE AMANHÃ – 3’15
    (Roberto Ribeiro-Toninho Nascimento)
  5. GAMAÇÀO DANADA – 2’36
    (Neguinho da Beija-Flor-Almir)
  6. HERÓIS DA LIBERDADE – 4’06
    (Silas de Oliveira-Décio da Viola-M.Ferreira)