Verde que Te Quero Rosa – Semente Viva do Samba Mangueira, 1983

Verde que Te Quero Rosa - Semente Viva do Samba

Verde que Te Quero Rosa - Semente Viva do Samba - Mangueira 1983A verde e rosa vinha em uma fase de resultados magros. Seu último título havia sido em 1973 e a escola havia passado até por risco de rebaixamento em 1980, quando obteve o oitavo lugar com o enredo “Coisas Nossas”.

Para o carnaval de 1983, a Mangueira optou por uma volta às suas origens. Cinco anos após cantar seu cinquentenário, a Estação Primeira optou por um enredo onde relembrava seus últimos quatro carnavais campeões: “Reminiscências do Rio Antigo” (61), “O Mundo Encantado de Monteiro Lobato” (67), “Samba, Festa de um Povo” (68) e “Lendas do Abaeté” (1973).

Max Lopes, que vinha de um excelente trabalho na União da Ilha (o inesquecível “É Hoje”) foi contratado para desenvolver o enredo, cujo título foi retirado de um dos discos de Cartola. […]

Samba-Enredo

Autores: Heraldo Faria/Flavinho Machado/Geraldo Neves / Intérprete: Flavinho Machado

Amor, vem agora
Ver o esplendor do luar
A noite é linda senhora
Que o poeta vai acordar
Desperta Cartola
Vem pra avenida
Se a Mangueira é uma porta aberta
Você é a razão da sua vida
Você plantou, viu germinar

E a semente cresceu formosa
Deu Mangueira verde de manga rosa

Seus frutos de alegria e tristeza
Afagaram o pranto
Acendendo a chama da beleza
Seu nome é poesia
Nasceu da Primeira Estação
As suas pastoras, estrelas de um novo dia
É forca, é raça, é coração

Cantar, cantar, brincar, brincar
Deixa a brisa da euforia nos levar

Para reviver de novo
Tradições do Rio antigo
Monteiro Lobato, samba festa de um povo
Lendas do Abaeté

Mangueira é
Um canto de fé
Que leva o samba na poeira e no pé

A Mangueira foi a quinta escola a desfilar na noite de domingo de carnaval, 13 de fevereiro de 1983. A escola trazia um carro “pede-passagem” com o nome da escola e do enredo (foto ao lado), iniciando seu desfile com 3 mil componentes e mais de 50 alas.

Seu primeiro setor mostrava a comunidade da escola e trazia um trem como carro alegórico, que soltava fumaça. O setor sobre o Rio Antigo se valia de figuras de Debret, com alegorias de mão em suas fantasias.

Após vinha o setor dedicado a Monteiro Lobato (foto no topo), focado nos personagens do “Sítio do Pica Pau Amarelo” – que era um grande sucesso na TV Globo aquele momento. Tripés, palha e motivos africanos relembravam o desfile de 1968.

“Lendas do Abaeté” trazia a ala das baianas em branco e rosa. No final do desfile, tripé trazia um destaque representando Mestre Cartola.

Infelizmente, a escola patinou em problemas de Harmonia com abertura de pequenos claros no final da escola, bem como a costumeira invasão de pista que havia naquela época. Além disso, a bateria desfilou sem chapéu, o que prejudicou o julgamento da escola.

Na apuração dos resultados, a escola obteve o quinto lugar, com 193 pontos. Em um resultado muito contestado, a Beija-Flor mais uma vez se sagrou campeã do carnaval. Deve isto especialmente às notas do jurado Messias Neiva, que deu nota dez somente para a escola da Baixada e outras muito baixas para as suas concorrentes. Estranho…

P.S. Imagens acima, desfile da Escola. Texto: Blog Ouro de Tolo p/ Pedro Migão

P.S. Áudio do LP: Sambas de Enredo das Escolas de Samba do Grupo 1A Carnaval 83 – LP – Top Tape / áudio formato mp3/320Kbps

Relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *