Samba, Festa de Um Povo Mangueira, 1968

Samba, Festa de Um Povo - Mangueira 1968

Samba, Festa de Um Povo - Mangueira 1968Para apurar os sambas de enredo, este ano, visando repetir o sucesso de “O Mundo Encantado de Monteiro Lobato”, a Ala de Compositores da Mangueira resolveu dividir seus componentes em grupos de, no mínimo, quatro.

Assim, os três autores vencedores do ano passado – Darcy, Batista e Luís – se uniram a Hélio Turco e Dico para traduzirem musicalmente a história de “Samba, Festa de Um Povo”.

Tão logo o samba foi para a quadra de ensaios ganhou a preferência das pastoras, embora os outros fossem também de grande gabarito. No dia 24 de janeiro, uma Comissão Julgadora elegeu-o por unanimidade para o desfile. Todos os compositores se uniram e, sem reclamações, passaram a trabalhar pelo Samba vencedor. […]

Samba-Enredo

Autores: Darcy/Hélio Turco/Luis/Batista/Dico

I

Num cenário deslumbrante
Do folclore brasileiro
A Mangueira apresenta
A história do samba verdadeiro
Música… de origem bem distante
De uma era tão marcante
Que enriqueceu nosso celeiro
As diversas regiões
Entoavam as canções
Era um festival de alegria

Foi assim, com sedução e fantasia
Que despontou o nosso samba
Com grande euforia

II

Foi na Praça Onze
Das famosas batucadas
Que o samba teve a sua glória
No limiar da sua história
Quantas saudades
Dos cordões da galeria
Onde o samba imperava
Matizando alegria
Oh! Melodia
Oh! Melodia triunfal
Sublime festa de um povo
Orgulho do nosso carnaval

Louvor aos artistas geniais
Que levaram para o estrangeiro
Glorificando
O nosso samba verdadeiro

Darcy esta a quatro anos na Ala dos Compositores e foi o responsável pela linha melódica. Antes mesmo de entrar na Ala, Darcy já tinha auxiliado a Hélio Turco no Samba “História de Um Preto Velho”, em 1964. Em 1965 não concorreu em Samba de enredo e, no ano seguinte, fez parceria com Luís e Batista, tirando segundo lugar com “Exaltação a Villa-Lobos”.

No ano passado, os três venceram na Mangueira e na Presidente Vargas com “O Mundo Encantado de Monteiro Lobato”.

Hélio Turco foi o principal responsável pela letra da música. No entanto, não fez questão de que saísse seu nome como um dos autores. Lembra Hélio Turco que foi sempre com amizade e compreensão que os cinco compositores chegaram, com sucesso, ao final da composição. Hélio Turco é o mais antigo dos cinco na Ala dos Compositores, onde começou, em 1958.

Foi várias vezes campeão de Samba de enredo na escola. Em 1959, 60, 61 e 63 venceu de parceria com Cícero e Pelado. Em 1964 com Darcy e Comprido e em 1965 com Pelado e Comprido.

Batista faz parte da Ala dos Compositores desde 1959, mas só a três anos disputa Samba de enredo, vencendo os dois últimos. Da mesma forma, em relação a Samba de enredo, está Luis, embora tenha entrado na Ala em 1954 e tivesse feito, com sucesso, alguns Sambas de rua.

Dico é o mais novo dos cinco na Ala e em disputas de Samba de enredo. Este foi seu primeiro ano.

P.S. Áudio do LP: Festival de Samba Gravado ao Vivo – Sambas Enredo das Escolas de Samba (1968, Relevo) / formato mp3/320Kbps

P.S. Imagens: Revista Estação Primeira de Mangueira – Carnaval 1968 (fonte: Marcelo O’Reilly/Acadêmia do Samba)

P.S. áudio formato mp3/320Kbps

Relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *