Escolha uma Página

Prá Seu Governo, 1975

139

Prá Seu Governo – Beth Carvalho, 1975
Tapecar ‎– LP-X 22, LP
por.: Marcelo Oliveira / 25 abr, 2017
Categoria(s).: Álbuns

A moça nasceu na Gamboa, antigo bairro de malandragem, capoeira e gente pobre, gente-suor, gente-fome. A vida arrastou a moça pra fome e o suor disfarçados da zona sul. Mas já veio pra areia sambando no pé, dizendo coisas no violão e no cavaquinho. E, principalmente, trazendo uma proposta de briga: briga por uma MPB realmente nossa, que a gente ouve sem sotaque e sem se lembrar do ritmo de ninguém.

O grande valor deste disco é ser informal, às vezes até mal comportado, como a alegria estado de alma e não alegria pose pra retrato. É como se a coisa estivesse acontecendo não num estúdio de gravação, e sim numa roda de samba improvisada em fundo de quintal, por conta de um porrinho, como em “1800 Colinas”, “Maior é Deus”, “A Pedida é Essa”, “Vovó Chica” e “Me Ganhou”.

A tradição dos velhos regionais está inteira em “Falência” e “Miragem”, do Nélson Cavaquinho, autor obrigatório pra quem quer diploma de cantar samba, e que em “Miragem” nos dá de presente, bem no final, sua voz que o amor demais quebrou, num sussurro espremido que ele bem queria que fosse lá-lá-lá, como estão cantando os outros.

A dor de cotovelo bem brasileira, confessada sem preconceitos nem vergonha dos amigos, machuca em “Fim de Sofrimento” e “Tesoura Cega”, esta última com a vantagem de trazer de volta o clarinete chorão de Abel Ferreira, sem gravar desde os tempos da cera.

“O meu primeiro LP dediquei à querida Clementina de Jesus. Agora dedico à grande amiga e incentivadora Elizeth Cardoso. Ambas ‘divinas’ de fato e de direito, simbolizam o que há de beleza e amor na MPB”. (Beth)

Mobilizando o que havia de melhor (a ficha técnica aqui ao lado que o diga), Beth não poderia esquecer a poesia – primeiríssimo time do Paulo César Pinheiro – e as melodias de Edmundo Souto e Mauricio Tapajós, melodias pra homem nenhum botar defeito. Ouçam e se emocionem com “Pra Ninguém Chorar” e “Agora é Portela 74”. E tudo isso na maior simplicidade, na intenção inicial do autor, valorizada pelos arranjos de Paulo Moura e Orlando Silveira.

Poderão dizer que a nova roupagem de “Pra Seu Governo” é sofisticada. Lógico. Beth, nessa faixa, está mostrando um sucesso de 1950. Podia dar-se ao luxo de mostrar que também sabe fazer o que os outros fazem. E com sobras.

Mário Lago
contracapa do LP

selo lado A

Face A

  1. MIRAGEM (••) 2.25
    Nélson Cavaquinho e Guilherme de Brito
    (ao violão: Nélson Cavaquinho)
  2. 1800 COLINAS (••) 3.17
    Gracia do Salgueiro
  3. TESOURA CEGA (••) 3.09
    César Costa Filho e Walter Queiroz
  4. MAIOR É DEUS (•) 2.40
    Eduardo Gudin e Paulo César Pinheiro
  5. FIM DE SOFRIMENTO (•) 3.17
    Monarco da Portela
  6. A PEDIDA É ESSA (••) 2.35
    Norival Reis e Vicente Matos

Face B

  1. ME GANHOU (•) 3.03
    Gisa Nogueira
  2. FALÊNCIA (••) 2.18
    Nélson Cavaquinho e Guilherme de Brito
  3. VOVÓ CHICA (••) 1.47
    Jurandir da Mangueira
  4. AGORA É PORTELA 74 (•) 3.07
    Mauricio Tapajós e Paulo Cegar Pinheiro
  5. PRÁ SEU GOVERNO (•) 3.17
    Haroldo Lobo e Milton de Oliveira

VIOLÕES: Dino (7 cordas), César (Regional Época de Ouro), Dario, Neco, Nelson Cavaquinho
VIOLÃO TENOR E VIOLA 12 CORDAS: José Menezes
CAVAQUINHO: Mané do Cavaco, José Menezes, Alceu Maia, Jonas (Época de Ouro)
BANDOLIM: Del Rian
BAIXO: Tião Marinho, Tranca
PIANO: Sérgio Carvalho
MARIMBA: Pinduca
BATERIA: Wilson das Neves, Lula
TAMBORIM: Luna, Marçal, Eliseu
SURDO: Luna, Juquinha, Marquinho
CUÍCA: Neném, Marçal
GANZÁ: Gilson de Freitas
AGOGÔ: Neném
PANDEIRO: Jorge José da Silva
ATABAQUE: Jorge Garcia
TUMBADORA: Bezerra
FLAUTA: Copinha, Jorginho
CLARINETE: Abel Ferreira, Netinho
TROMPETE: Darcy, Tião
TROMPAS: Zdnek Svab, António Cândido
VIOLINOS: Paschoal Perrotta, Jorge Faini, Paulo Nisenbaum, Giancarlo Pareschi (SPALLA), Alfredo Vidal, Marcelo Pompeu, Murillo Loures, João Daltro, Alzik M. Geller, José Alves, Adolfo Pissarenko, Artur Bove
CORO: Zélia, Lays, Nadir, Lilian Antonucci, Angela Viane, Lucia Lins, Francisco Roberto Ramos, Luiz Carlos Ismail, Pedro Paulo Carvalho, Conjunto Nosso Samba: Genaro, Claudionor, Stênio, Carlos Alberto
COLABORAÇÃO: Sambatuque, Exporta Samba, Alceu, Cadinhos, Leal, Ruth, Zica, Lucila.

ARRANJOS E REGÊNCIA: Paulo Moura (•) Orlando Silveira (••)
PRODUTORES: José Xavier, Jorge Coulinho
ARREGIMENTADOR: Paschoal Perrotta
COPISTA: Clovis Camelo de Melo, Clovis Gomes Ferreira
TÉCNICOS DE SOM: Celinho, Deraldo, Luiz Paulo
AUXILIAR DA TÉCNICA: Iedo, Luiz Tavares, Carlinhos
CORTE: Américo
ENG. DE SOM: Ary Perdigão
FOTO: Hugo, Rodrigo, Octavio
LAYOUT E ARTE FINAL: Walney de Almeida
FOTOLITO: Beni
SUPERVISÃO: Manolo Camero

Agradecemos à Continental Discos, por ter cedido o Conjunto Época de Ouro, e à Odeon pela participação do maestro Orlando Silveira.