Escolha uma Página

Raiz e Flor, 1988

134

Raiz e Flor – Jorge Aragão, 1988
RGE ‎– 303.6144, LP
por.: Marcelo Oliveira / 23 abr, 2017
Categoria(s).: Álbuns

A amizade e a parceria entre Jorge Aragão e Arlindo Cruz é tão forte e tão duradora que tem até música-tema. “De Jorge Aragão Para Arlindo Cruz” parceria essa, tanto no samba quanto na interpretação que abre o álbum “Raiz e Flor” lançado em 1988 por Jorge. O repertório segue com a autoral “Ontem”, samba-canção, sucesso em todas as rodas de samba.

Sobre “Ontem” vale o registro que foi regravado por Alcione em 1996 no disco “Tempo de Guarnicê” (BMG Brasil) – “Ontem/ Revirando uma gaveta de repente/ Dei de cara com a saudade em minha frente/ Era uma fotografia, de perfil você me olhava”. Ainda na linha romântica, segue outra pérola: “Feitio de Paixão”, samba dos Paulos (Onça e Carvalho) – “Queria o prazer do amor/ E assim desejando estou/ Só vou sossegar quando te conquistar/ Botar todas cartas vou na mesa pra decidir/ Quem sabe lutando vou conseguir”.

“Além da Razão”, dotado de um refinado desdobramento de melodia, (Sombrinha/Luiz Carlos da Vila/Sombra), tem uma curiosidade: Foi lançado também no ano de 1988 por Beth Carvalho no álbum “Alma do Brasil” (Polygram). Esse samba está presente também em vários outras regravações: “Fundo de Quintal ao Vivo” (1990/RGE); “Raças Brasil” (Luiz Carlos da Vila/1995/Velas) etc… Também pudera: “Por te amar/ Eu pintei/ Um azul pro céu se admirar/ Até o mar adocei/ E das pedras leite eu fiz brotar”.

No disco, Aragão e Sombrinha dialogavam num pot-pourri de partidos ancestrais (“Minha Orelha”, “Quanto Mais Eu Rezo”, “Eu Vou Embora”) cerzidos pelos baluartes da Portela Alcides Dias Lopes, o “Malandro Histórico”, e Francisco Felisberto Santana, o “Chico Santana”. Parafraseando o título do disco, um encontro das raízes e flores do pagode.

Também da dupla temos a faixa que dá o nome do disco “Raíz e Flor”.

Continuando na linha romântica, outro grande sucesso da dupla Efson/Odibar foi lançado nesse álbum: “Brilha Pra Mim”: “Brilha pra mim/ Mais uma vez brilha pra mim/ Que uma centelha de você/ Reflete em mim, me faz viver”. Esse samba posteriormente foi interpretado pelo próprio Efson no disco: “RENASCENÇA CLUBE – SAMBA DO TRABALHADOR” (2005/Lua Music).

Na contracapa do disco, Jorge Aragão faz um dedicatória a seus pais:

“Este trabalho é dedicado a minha mãe, Dona Nair Aragão da Cruz, que torce e reza por mim a vida inteira, e à memória do meu pai Dorval.”

A

DE JORGE ARAGÃO PARA ARLINDO CRUZ
(JORGE ARAGÃO/ARLINDO CRUZ)

ONTEM
(JORGE ARAGÃO)

FEITIO DE PAIXÃO
(PAULO ONÇA/PAULINHO CARVALHO)

ALÉM DA RAZÃO
(LUIZ CARLOS DA VILA/SOMBRINHA/SOMBRA)

PELO FIM
(JOTABE)

B

RAIZ E FLÔR
(JORGE ARAGÃO/SOMBRINHA)

BRILHA PRA MIM
(EFSON/ODIBAR)

POT-POURRI
MINHA ORELHA
QUANTO MAIS EU REZO
EU VOU EMBORA
(ALCIDES DIAS LOPES/FRANCISCO FELISBERTO SANTANA)

TERCEIRA PESSOA
(JORGE ARAGÃO/FRANCO)

ÁGUAS DO SENHOR
(MAURO DINIZ/ADILSON VICTOR)

MÚSICOS:

CAVACO – MAURO DINIZ E CARLINHOS
BANJO – ARLINDO CRUZ E MAURO DINIZ
BANDOLIM – PEDRO AMORIM
VIOLAO DE 6, GUITARRA E TECLADOS – EVALDO SANTOS
VIOLÃO DE 7 – JORGE SIMAS
BAIXO – LUCAS
PIANO – FERNANDO MERLINO
CLARINETE E SAX ALTO – NETINHO
FLAUTA – FRANKLIN
ACORDEON – CHIQUINHO
BATERIA E REPIQUE DE MÃO – JORGE GOMES
SURDO – PIRULITO
PANDEIRO – BIRA HAWAI
COMPLEMENTOS DE RITMO – SURDO, CONCAS, TAN-TAN, GANZA, TAMBORIM, REPINIQUE, CAIXA, AGOGÔ E CINCERRO
(BIRA HAWAI, MILTON MANHÃS E PIRULITO)
CÔRO – ANA CLARA, DINORAH, SANDRA E ZÉLIA, CARLINHOS, ELSON, MARQUINHOS, JORGE E PAULO
PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS – ARLINDO CRUZ, NA FAIXA DE JORGE ARAGÃO PARA ARLINDO CRUZ SOMBRINHA, NA FAIXA POUT-POURRI

FICHA TÉCNICA:

COORDENAÇÃO DE PRODUÇÃO – MARCOS SALLES
ASSISTENTES DE ESTÚDIO – CECÍLIA DE SOUZA E SANDRA ROLSZT
ARRANJOS E REGÊNCIAS – IVAN PAULO
TÉCNICOS DE GRAVAÇÃO – LUIZ PAULO E JORGE TEIXEIRA “GARRAFA”
TÉCNICO DE MIXAGEM – LUIZ PAULO
AUXILIARES – MARQUINHOS, SÉRGIO ROCHA, FELIPE, JULINHO E CESAR
ARREGIMENTAÇÃO – CLAUDIO NEGÃO E JORGE CORREA
CONTROLE DE ESTÚDIO – HÉLIO DE FREITAS
EDIÇÃO – IEDDO GOUVEA E PAULO JOÃO
APOIO GERAL – MARIÃNGELA JERÓNIMO E VERA PIRES (SP)
FORÇA NOS TRABALHOS – FATIMA CRISTINA E CARLINHOS DOUTOR

GRAVADO E MIXADO NOS ESTÚDIOS DA SOM LIVRE, NO RIO DE JANEIRO, NOS MESES DE MAIO E JUNHO DE 88, EM PLENO OUTONO.

PRODUZIDO E DIRIGIDO POR MILTON MANHAES/ZAPPELLE EMPREENDIMENTOS ARTÍSTICOS LTDA.