Escolha uma Página
Samba 100%
143

Samba 100% Ataulfo Alves • Ismael Silva, 1959
Sinter ‎– SLP-1774, LP
por.: Marcelo Oliveira / 26 abr, 2017
Categoria(s).: Álbuns

O samba carioca tem uma geografia complicada. Este LP serve para prová-lo. Ele reune duas das mais legítimas expressões do ritmo carioca: o mineiro Ataulfo Alves e o fluminense Ismael Silva… Ataulfo Alves de Souza vem lá de Mirai, na Zona da Mata. Nasceu a 2 de maio de 1909, sendo filho de Severino Alves de Souza e Matilde Alves de Souza. O velho Severino (ou “Capitão” Severino, como era conhecido em Mirai) era um grande violeiro e repentista, sendo ainda um bamba da harmônica. Cantava muitas vezes uma noite inteira.

Ataulfo tinha dez anos quando o “Capitão” um dia, experimentando uma arma de fogo fê-la detonar involuntariamente no dedo. A ferida infeccionou e no dia seguinte, suado de uma colheita de café apanhou um forte aguaceiro. Foi a conta exata. Assim morreu o “Capitão” Severino deixando 6 filhos (2 homens e 4 mulheres) e um legado de talento que Ataulfo se apressou a herdar. E ia fazendo seus versos e suas composições infantis e trabalhando nos empregos que lhe apareciam : oficina mecânica, marcenaria, fundição (Ataulfo tinha um bom fôlego para soprar foles) etc. Em 1927 (com 18 anos, portanto) veio, para o Rio de Janeiro em companhia de um médico que fora amigo de seu pai, Dr. Afrânio Moreira de Rezende tendo ido logo trabalhar com éle em seu consultório à rua da Assembleia 34. Foi tempos depois trabalhar como ajudante de farmácia na rua São José, 61 na “Farmácia e Drograria do Povo” de Samuel Antunes & Cia. Deixou esse emprego mas logo depois a ele regressava pois era difícil deixar uma família como a de Samuel Antunes, que tanto o considerava. As duas mocinhas da casa, aliás, tinham uma amiga que ia sempre visitá-las e que então conheceu Ataulfo: Carmen Miranda. Mas é o compositor Alcebiades Barcelos que merece realmente o título de “descobridor” de Ataulfo Alves. Conhecendo suas composições apresentou-o na Victor. E por uma feliz coincidência foi chamada Carmen Miranda para ouvir suas músicas. Carmen lembrou-se logo de Ataulfo e escolheu “Tempo Perdido” que pouco depois gravou (em 1934). Mas se foi essa a primeira composição de Ataulfo gravada, seu primeiro sucesso de verdade, veio no ano seguinte : “Saudades do Meu Barracão” (gravado por Floriano Belham e pelo Bando da Lua). Em 1941 Ataulfo pensou em gravar éle mesmo um disco para a família e para os amigos. Falou na Odeon com “Herr” Strauss e ele aprovou a ideia. Assim saiu o disco “Leva Meu Samba” (samba de Ataulfo Alves) e “Alegria na Casa de Pobre” (samba de Ataulfo Alves e Abel Netto) cantado por Ataulfo Alves com a Escola de Samba da Cidade (Odeon 11.955). No ano seguinte Ataulfo Alves tinha uma música com Mário Lago que ofereceu, sem êxito, a diversos cantores. Pensou então em repetir a dose de “Leva Meu Samba” e, ao chegar à Odeon para tratar do assunto, encontrou à sua espera um contrato para gravar, como cantor exclusivo. Lançou então o samba enjeitado “Ai, Que Saudades da Amélia” tendo na face B o samba de Alcebíades Barcelos e Cartola “Não Posso Viver Sem Ela” com Ataulfo e sua Academia de Samba (Odeon 12.106). Era a consagração definitiva de Ataulfo como compositor e como cantor. E já que tinha que cantar, Ataulfo substituiu sua Academia de Samba por um coro de três moças que Pedro Caetano batizou como “Pastoras”. Daí por diante os sucessos de Ataulfo se sucederam até chegarmos aos recentes e fabulosos “Pois é” e “Vai Mesmo”, este criado por Nora Ney. Ataulfo Alves é casado com d.Judith Alves de Souza e tem 5 filhos: Adélia, Adelino, Adeilton, Matilde e Ataulfo, todos com tendência musical. Ataulfo (que um dia espera escrever sua auto-biografia é sócio da União Brasileira de Compositores (TBC) e Presidente da Associação de Direitos Autorais Fonomecânicos (A.D.D.A.F.).

Ismael Silva vem de Jurujuba, Niterói, onde nasceu a 14 de setembro de 1905, sendo filho de Benjamim da Silva e de Emília Corrêa Chaves. Mas aos três anos já estava na Capital Federal, exatamente no Estácio onde mais tarde fundaria a primeira Escola de Samba. Após estágio no Rio Comprido, Santa Teresa, etc. voltou aos 17 anos para o Estácio onde, aos poucos foi-se relacionando com a rapaziada local e participando das memoráveis sessões de samba do Largo do Catumbi. Ali pontificava o bamba Edgar mas a verdade é que Ismael chegou e abafou. Com Ismael começou a aparecer Rubens Barcelos que com ele e rapaziada (Alcebiades Barcelos, Edgar, Nilton Bastos, Brancura, Francelino, Tibério e Baiaco) se reuniam sempre no Café Bar Apoio. Em 1928 foi apresentado a Francisco Alves que passou a lançar em disco toda a produção de Ismael e seu parceiro Nilton Bastos. Foi ainda nesse ano que com sua roda do Estácio Ismael fundou a primeira Escola de Samba: “Deixa Falar”, que saiu pela primeira vez no Carnaval de 1929. Como cantor Ismael gravou alguns discos na Odeon, inclusive em dupla com Noel Rosa. Foi auxiliar da Direção Artística da Odeon de 1933 a 1934. Em 1935 brigou com Francisco Alves, e após algumas gravações com Aurora Miranda, Ciro Monteiro e Odete Amaral ficou afastado do meio até 1956 quando Alcides Gerardi lançou com sucesso seu “Antonico”. Mas foi em 1954 que Ismael voltou definitivamente às atividades artísticas atuando no “show” do Casablanca “O Samba Nasce no Coração” e gravando um LP de 10 polegadas para a Sinter, do qual foram extraídas as faixas aqui incluídas. Ismael Silva é filiado da Sociedade Brasileira de Autores, Compositores e de Músicas Editores (SBACEM) e continua fazendo sambas dos bons e dos melhores.

Este LP que reúne alguns dos maiores sambas na interpretação de seus próprios autores vale para a música popular brasileira como em Pintura um quadro de Rembrandt ou em Literatura um original de Cervantes ou Shakespeare.

ARY VASCONCELOS
contracapa do LP

Face A — «Ataulfo Alves e suas Pastoras»

1 — SAUDADES DO MEU BARRACÃO
(Ataulfo Alves)
2 — LAGÔA SERENA
(Ataulfo Alves-José Batista)
3 — INFIDELIDADE
(Ataulfo Alves-Américo Seixas)
4 — PELA LUZ DIVINA
(Ataulfo Alves-Mário Travassos de Araújo)
5 — SAUDADE DELA
(Ataulfo Alves)
6 — MEU LAMENTO
(Ataulfo Alves-Jacob do Bandolim)
7 — POIS É
(Ataulfo Alves)

Face B — «Ismael Silva com Conjunto e Ouro»
1 — SI VOCÊ JURAR
(Ismael Silva-Nilton Bastos-Francisco Alves)
2 — QUE SERÁ DE MIM
(Ismael Silva-Nilton Bastos-Francisco Alves)
3 — ADEUS
(Ismael Silva-Francisco Alves-Noel Rosa)
4 — PARA ME LIVRAR DO MAL
(Ismael Silva-Noel Rosa)
5 — SOFRER É DA VIDA
(Ismael Silva-Nilton Bastos-Francisco Alves)
6 — NEM É BOM FALAR
(Ismael Silva-Nilton Bastos-Francisco Alves)
7 — NOVO AMOR
(Ismael Silva)