Festival de Samba – Sambas Enrêdo das Escolas de Samba Gravado ao Vivo 1968, LP - Discnews

Festival de Samba - Sambas Enrêdo das Escolas de Samba - Gravado ao Vivo 1968, LP - Discnews - DN-68-2

Festival de Samba - Sambas Enrêdo das Escolas de Samba - Gravado ao Vivo 1968, LP - Discnews - DN-68-2Hoje em dia, já no fim do ano anterior ao desfile das escolas, temos em mãos o CD com as gravações dos sambas enredos. No entanto, décadas atrás, essa facilidade não existia. A história começou a mudar há 46 anos, em 1968, quando foi gravado o “Festival de Samba”, o primeiro disco com os sambas de enredo (assim eram chamados) do carnaval daquele ano. Anteriormente, cada agremiação gravava suas músicas separadamente, como podia.

Incomodada com a desvalorização do samba em uma época repleta de festivais musicais nas rádios e TVs do Brasil, a gravadora Discnews com o auxilio do agitador cultural Albino Pinheiro – um grande defensor das manifestações populares no Rio de Janeiro, criador do bloco ‘Banda de Ipanema’ – lançou o LP com os sambas de 1968, que foram gravados ao vivo nos terreiros – antigas quadras das escolas. […]

Albino escreveu o encarte do disco, que além do texto em português tem uma versão em espanhol e inglês (uma tática da gravadora para deixar o trabalho mais abrangente). Nesse texto, o agitador cultural reforça que os sambas enredo são como hinos – que se renovam a cada ano – para as escolas, por isso a importância de registrá-los em conjunto.

Trecho do encarte:

“Este disco mostra sete sambas-enredo de sete grandes Escolas de Samba concorrentes ao supercampeonato de 1968. São compostos de 20 a 30 versos, sendo visível a diminuição de seu tamanho face aos últimos anos. Instintivamente ou não, acertaram os compositores. A excessiva versificação, prejudicando as possibilidades de empolgação do samba, concorria como fator negativo para a harmonia do desfile. Neste disco, a tônica é a empolgação. Gravado ao vivo nos terreiros onde os sambas-enredo se estruturam e se realizam, temos a exata dimensão, nas vozes das pastoras que os sustentam da sua grandeza.”

Mas nem tudo é interesse em cultura. No ano anterior, o samba-enredo da MangueiraO Mundo Encantado de Monteiro Lobato”, que havia dado a escola verde e rosa o título do carnaval de 1967, ganhou as rádios, na voz de Eliana Pittman, se tornando um sucesso nacional. Esse fato fez os executivos da Discnews enxergarem um potencial comercial naquele estilo musical, que ainda era marginalizado.

Por Felipe Lucena

FAIXAS:

A1. D. Bêja – Feiticeira de Araxá
Salgueiro
de: Aurinho da Ilha

A2. Sublime Pergaminho
Unidos de Lucas
de: Carlinhos Madrugada/Zeca Melodia/Nilton Russo

A3. Viagem Pitoresca Através do Brasil
Mocidade Independente
de: Da Roça/Djalma

A4. Pernambuco: “O Leão do Norte”
Império Serrano
de: Silas de Oliveira


B1. Tronco do Ipê
Portela
de: Cabana

B2. Samba, Festa de um Povo
Mangueira
de: Darcy/Batista/Luiz/Hélio Turco/Dico

B3. Quatro Séculos de Modas e Costumes
Unidos de Vila Isabel
de: Martinho

B4. Ritmo da Escola

Fontes:

  • Imagem do topo: Desfile do Salgueiro, Carnaval 1968 – Fonte: Agência O Globo
  • Texto: Revista da Beija-Flor de Nilópolis;
  • Áudios: Festival de Samba – Sambas Enrêdo das Escolas de Samba – Gravado ao Vivo 1968, LP – Discnews – DN-68-2 / Formato mp3/320Kbps;

1 pensamento em “Festival de Samba – Sambas Enrêdo das Escolas de Samba Gravado ao Vivo 1968, LP - Discnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *